VIDEOS LEGAIS

Loading...

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Na TV, PSDB tenta popularizar imagem de Serra



Logo na abertura do programa, tucano prometeu ampliar Bolsa Família; propaganda investiu na origem humilde do candidato e lembrou mutirões da Saúde

Num esforço para alavancar a popularidade de José Serra entre as camadas mais pobres, parcela do eleitorado na qual o PT apresenta larga vantagem nas urnas, o PSDB apresentou o seu candidato presidencial no programa partidário da sigla, veiculado na noite desta em rede nacional de TV, como um homem de família com origem humilde, o "Zé Serra".

Logo na abertura da peça, veiculada a partir das 20h30, Serra falou sobre a importância de se manter um dos programas mais populares e bem avaliados do adversário Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o Bolsa Família. "Eu acho que o Bolsa Família deve ser ampliado, deve ser fortalecido", defendeu, com a seguinte ressalva: "Agora, precisa saber fazer ele ir para frente. E eu acho que eu sei." O tucano também abriu o programa com a defesa do ensino profissionalizante, " e repetiu o slogan de sua campanha: "O Brasil pode mais."

Em 10 minutos de programa, preenchido apenas pelo presidenciável, o PSDB procurou desconstruir a fama de que Serra é um homem sério e mal-humorado e apostou as fichas nas principais vitrines eleitorais do tucano: Saúde e Gestão. O programa faz parte de estratégia do PSDB de conter a queda do tucano nas recentes pesquisas de intenções de voto, em que aparece empatado com a candidata do PT, Dilma Rousseff.

Em seguida, Serra foi apresentado como pai de família, marido de Mônica e avô "coruja" de Antônio, Francisco e Gabriela. Ao falar dos netos, ele se emocionou: "Quando a tua netinha te liga e fala, ela não me chama de vovô, ela me chama de José, 'José, você não vem visitar?', o que você fala?". Depois da cena em família, o programa exibiu a Mooca, bairro operário onde o presidenciável nasceu: a simples casa de fachada azul, a foto da mãe, dona de casa, e do pai, vendedor de frutas. Ao mostrar as fotos, o locutor fez questão de reforçar a origem humilde do tucano. "Como filho de família pobre, Serra também estudou em escola pública."

Além de homem pobre, o PSDB apresentou Serra como "grande líder estudantil" e político que lutou contra a ditadura militar. "E por isso foi exilado." Em mais um esforço para contrapor a experiência administrativa do tucano a de sua principal adversária na corrida eleitoral, a candidata Dilma Rousseff (PT), o PSDB evidenciou no programa os cargos ocupados por Serra em sua vida pública. A peça mostrou que o tucano foi o deputado constituinte que mais aprovou projetos, o senador mais bem votado do País, o ministro do Planejamento do governo FHC que ajudou a implantar o Plano Real e "o melhor ministro da Saúde que o Brasil já teve".

O programa partidário do PSDB ressaltou também os mandatos executivos que Serra desempenhou: na Prefeitura de São Paulo e no governo de São Paulo. Numa alusão a um dos famosos bordões utilizados pelo presidente Lula, o candidato tucano foi apresentado como "o único governador na história de São Paulo" eleito no primeiro turno. E foi explorada uma de suas principais vitrines administrativas: a Saúde. O programa mostrou os programas criados pelo tucano quando à frente do Ministério da Saúde e do Palácio dos Bandeirantes. "Serra construiu ou reformou mais de 300 hospitais no País inteiro", salientou o locutor. "Vacina para gripe ao idoso. Isso não tinha, não. Foi o Serra que fez."

Ainda na estratégia de popularização de seu candidato, o programa do PSDB disse que "Zé Serra é sujeito simples, de bem com a vida e com seu povo". Foram exibidos ainda depoimentos de eleitores de vários pontos do Brasil, como Minas Gerais, Paraíba, Ceará e Paraná, além de São Paulo. Num deles, o 'seu Maneco', barbeiro em Curitiba (PA), diz que Serra é um homem sério e que foi o maior presente de toda a sua vida conhecê-lo. Maneco relatou que foi graças a um mutirão de câncer de próstata, quando Serra era ministro da Saúde, que detectou a doença e pode tratá-la. Nesse encontro, o candidato tucano se emocionou e disse que são histórias como essa que o fazem acreditar que vale a pena encarar os desafios.

Os ataques ao PT, maior adversário nesta campanha, foram sutis no programa partidária tucano. Num deles, o locutor diz que, enquanto os adversários apenas gostam de falar muito, José Serra gosta de fazer. No final do programa, sem citar o PT, Serra reconheceu que "o Brasil avançou em algumas coisas", mas ponderou: "falta muito por fazer". "A saúde pública está ruim, a educação precisa melhorar muito e a segurança, em muitos lugares está péssima e as drogas são um verdadeiro pesadelo para as famílias", elencou. E encerrou com o seu slogan: "Isto tem que mudar, o País pode melhorar muito. Vamos juntos, o Brasil pode muito mais."

0 comentários:

Postar um comentário